segunda-feira, julho 31, 2006

Choose your side?

Tomar partido, como?Enquanto os ataques com mísseis Zalzal 1 de fabrico iraniano e os bombardeamentos nocturnos israelitas continuam a matar quem estiver por perto, no nosso cantinho, e à falta de Mundial ou de novas contratações do mundo do Futebol (a avaliar pela capa do Record chegou um novo hoje, para o clube da Luz) entretemo-nos numa espécie de jogo cada vez mais patético em que parece não existir comentador político, blogger ou mesmo jornalista que não apoie à exaustão as razões de um dos lados. Ora são os pró-israelitas que dizem que o Hezbollah é o único culpado desta e de todas as outras situações deste tipo, ora são os pró-Hezbollah que afirmam que a política Israelita é a culpada de todos os males e mais algum. Não há hipótese, segundo esta gente, de qualquer um de nós ficar neutro neste conflito, em termos de "apoiar" um ou outro lado. Somos obrigados a escolher "de que lado estamos"!

É que esse tipo de extremismo, tanto como os outros, faz-me espécie. Não que seja adepto do "fazer de conta que não é nada connosco, deixa-os lá estar", mas mesmo assim, faz-me espécie, admito!
E, correndo o risco de parecer uma heresia a comparação, pergunto-vos: sendo eu sportinguista, preciso torcer por alguém num determinado Benfica-Porto? Claro que tenho amigos simpatizantes de ambos os clubes, pessoas honestas, simpáticas e decentes. Mas, por outro lado, nesses mesmos clubes existem personagens como Luís Filipe Vieira, Pinto da Costa, Leonor Pinhão, Miguel Sousa Tavares, José Veiga, Reinaldo Teles etc... Será mesmo possível torcer por um clube onde existem estas criaturas? E será mesmo possível tomar partido num conflito em que, de um lado e do outro, existem animais que matam crianças e velhos, homens e mulheres inocentes, seja com um bombardeamento em Canã ou com um homem-bomba num autocarro em Jerusalém? Não me parece!

quinta-feira, julho 27, 2006

Piratarias(?) Ou talvez não!

Acusa o Abrupto de estar a ser vítima de pirataria... Curiosamente, ou talvez não, eis a estória...

P.S.: Mike, dear... não sabes a embrulhada em que o Blogger te meteu...
Toda a verdade: as faltas da Assembleia da República

Foi recentemente divulgada, pelos serviços da Assembleia da República, informação relativa à assiduidade dos deputados da nação, durante o período de Março de 2005 a Abril de 2006. De acordo com os números fornecidos, de um total de 1900 faltas (uma média de 18,5 faltas por sessão), apenas 13 (0,13 por sessão) foram consideradas injustificadas.

No entanto, e apesar de requeridos pelas agências noticiosas, não foram disponibilizados os motivos das justificações das faltas, dado que os serviços do Parlamento dizem tratar-se de "informação confidencial, não disponível para consulta pela comunicação social".

Sempre um passo à frente, o desBlogueador de conversa conseguiu ter acesso a um relatório confidencial com esses motivos, escondidos do superior interesse do povo português. Não podemos ficar calados, é necessário e urgente que se saiba quais as razões pelas quais os deputados faltam ao seu serviço. E aqui fica, toda a verdade...ade...ade...ade (sem eco perde um bocado do efeito, mas enfim!)

RELATÓRIO DE FALTAS APRESENTADAS PELOS DEPUTADOS DA ASSEMBLEIA DA REPÚBLICA (Março de 2005 a Abril de 2006):

Ana Drago (BE) - 15 faltas
7 em deslocação oficial do BE a Marrocos; 4 por consulta de oftalmologia; 4 por presença num workshop de «técnicas de desobediência civil», realizado em Beirute.
António Vitorino (PS) - 27 faltas
12 por impossibilidade de estar em 3 canais de televisão e na AR simultaneamente; 8 por presença no congresso «O tamanho não importa...na política»; 7 por consulta de reconstrução capilar.
Francisco Madeira Lopes (Os «Verdes») - 4 faltas
2 por deslocação oficial em Barrancos, no âmbito da Festa de Nossa Senhora da Conceição; 2 por indigestão alimentar, depois de uma overdose de soja e tofu.
Francisco Louçã (BE) - 1 falta
1 por argumentar que não existiam câmaras de televisão suficientes que justificassem a sua presença.
Jerónimo de Sousa (PCP) - 42 faltas
29 por funções sindicais; 7 por presidir à XV Reunião de Amizade Portugal-Cuba; 6 por consulta médica de otorrinolaringologia, para correcção de afonia crónica.
João Soares (PS) - 28 faltas
12 por deslocação oficial a Angola; 10 por visita a familiar internado no hospital Júlio de Matos; 6 por presença na XIII Feira Internacional de Diamantes de Kimberley, África do Sul.
João Teixeira Lopes (BE) - 29 faltas
29 faltas por estar demasiado pedrado para dar com a Assembleia.
Joaquim Pina Moura (PS) - 33 faltas
24 por presenças em diversos conselhos de administração de empresas espanholas prestes a entrar em Portugal; 5 para conseguir acabar de fazer a sua declaração de IRS; 4 para se preparar para os exames de 2º ano da faculdade de Economia.
Manuel Alegre (PS) - 32 faltas
16 por idas ao barbeiro; 11 por estar a preparar uma ode a Rui Costa e quatro poemas sobre Luís Figo; 5 por estar a gritar com o taxista que o levou à AR, clamando que a ele ninguém o cala.
Manuel Maria Carrilho (PS) - 42 faltas
22 por sessões fotográficas para a Caras e Nova Gente; 9 porque simplesmente não lhe apeteceu aparecer.
NOTA: Os funcionários da AR recusaram-se a perguntar a este deputado os motivos da sua ausência nas restantes 11 vezes em que não esteve presente, alegando tratar-se de uma tarefa "demasiado chata".
Marques Mendes (PSD) - 43 faltas
23 por não ter conseguido completar a subida da escadaria de São Bento a tempo da sessão; 12 por representar Portugal no Campeonato Mundial de Mini Body Board; 8 por presença no congresso «O tamanho não importa...na política».
Paulo Portas (CDS/PP) - 25 faltas
24 por ter parado no espelho na entrada da Assembleia a admirar as suas gravatas; 1 por hospitalização após ter sido atacado por um familiar, na festa familiar de Natal.
Telmo Correia (CDS/PP) - 1 falta
1 para fazer as dobragens da personagem Egas, na nova série da Rua Sésamo.

segunda-feira, julho 24, 2006

Ó Diabo. Quem?

Blogger Problem

This server is currently experiencing a problem. An engineer has been notified and will investigate.

Status code: 1-500-35
É impressão minha ou isto...é parvo?

Tive mesmo agora conhecimento desta notícia e gostaria de saber, ao certo, para que é que isto serve? Estou um pouco a leste daquilo que é hoje em dia o sistema de ensino. Tenho a noção perfeita de que não é como era no meu tempo. Não existe a Primária, nem o Preparatório, nem depois o Liceu/Secundário, etc, etc. Agora parece que são ciclos.

Ora bem - e rogo o favor de todos os 7 (exagerado!) leitores deste blog, que me corrijam se estou errado - a xôra Dona Ministra da Educação aparece com uma ideia que, para além de peregrina, é definitivamente parva. Ideia essa que , segundo aquilo que entendo, visa avaliar o sistema de educação, com base em exames de aferição (até aqui tudo bem, o nome está correcto), a serem efectuados ao alunos dos últimos anos do 1º e do 2º ciclo (acho que são as antigas Primária e Preparatória). Exames esses, que não terão nenhuma influência na nota final dos alunos.

Hum...
Hum... (pausa de dimensões consideráveis)

Ora bem. Imagino-me desde já a voltar atrás no tempo (querias!), e a ser aluno do último ano do Ensino Preparatório (2º ciclo) e a ter que fazer estes exames.

Hum...(pausa ainda maior)

Imagino-me depois em casa, numa agradável tarde de Junho/Julho e a pensar para os meus botões:
"- Ora bem. Que é que eu vou fazer então? Vou jogar futebol ou vou estudar um pouco para aquele exame de matemática que vou fazer amanhã de manhã, e que não interessa para rigorosamente nada?". (Não sei se repararam na fidelidade desta viagem temporal. Hoje em dia a palavra futebol seria substituída por PlayStation2 ou até por ver 456 episódios dos "Morangos com Açúcar")

E depois avanço mais um dia e vejo-me numa sala de exame, sentado numa secretária a olhar para a janela, roendo a caneta e a pensar o seguinte:

"- Hum...que belo dia de sol e que grande caloraça. Onde eu estava bem era ao fresquinho, em casa, a ler um livrinho. Mas não, tenho que estar aqui a fazer esta merda, que não serve para nada. Ora deixa-me mas é cá responder isto à "Zé-dos-Cavalos", mesmo até porque nem sequer estudei nada, e isto não serve para rigorosamente nada, e pôr-me mas é ao fresco o mais rapidamente possível. Ora bem, aqui na pergunta 6, vou responder 14/9, mas sem explicar como cheguei a este resultado. Na 7, meto 145, 34, também sem explicar nada. Depois na seguinte..." (por certo repararam que o autor mais uma vez fiel ao seu passado deprimente, em vez de pensar em algo de mais interessante/prático, como por exemplo uma praia, uma piscina, chamar nomes ao professor, estar de férias num local interessante, fumar um cigarro, dizer asneiras, copiar a prova por um colega ou até mesmo ir ter com umas miúdas, opta por desejar ler um livro).

Será que o mundo - e em especial o ser humano - mudou assim tanto e o parvo sou eu?

E mais grave ainda, meus amigos, esta parvoíce, é apoiada (efusivamente, o que torna a coisa ainda mais bizarra) por uma suposta Associação de Pais. Mas, está tudo doido? Ou o problema sou eu? Será que estou errado? Para que raio serve esta porcaria, meus amigos? Alguma vez isto terá resultados fiáveis? Mesmo dando de barato, que casos de desinteresse puro e duro, serão eliminados (e muito bem , se assim for o caso), isto jamais será fiável, basicamente, porque sem consequências directas, o ser humano - por muito ingénuo e pequeno que seja - jamais dará o seu melhor.

Digo eu (o tal gaijo do livrinho) ...

quarta-feira, julho 19, 2006

Afinal era mito urbano!

Não se confirmam os rumores que indicavam que este ano lectivo não ia acabar e que não iriam haver qualquer pausa para férias. Elas, que pareceram tão distantes, estão finalmente aí. Falta 1 ano, se tudo correr bem, para me licenciar (portanto para obter uma licença. Não?! Ok.). Com a lista de encargos que este último ano traz, este mesmo post, quando for escrito em Julho de 2007 será a tradução de algo que terei balbuciado antes de cair para o lado...medo, muito medo! Mas também uma ponta de orgulho, caramba.

terça-feira, julho 18, 2006

É o fim do mundo

Não em cuecas, que essas de pouco serviriam, mas sim em forma de dilúvio. Que se passa com o tempo , meus amigos? Então em pleno Verão, depois de 4 dias de calor sufocante, com temperaturas elevadas, um tempo do mais seco possível e imaginário, aparece vento, trovoadas e o "pai de todos os granizos"? Calhaus (não, não estou a exagerar), que chegaram a despertar em mim, dúvidas quanto à integridade da minha viatura, cairam numa quantidade absurda, aqui por estas bandas, alagando as zonas mais baixas aqui da cidade. Tudo isto em pleno Verão...

Qualquer dia começo a acreditar naquela malta que culpa os Americanos por isto tudo. Eles e as coisas que eles atiram "lá para cima".

sexta-feira, julho 14, 2006

Onda de calor

Ai, que calor...Conversa antes do almoço com um empregado meu:

- Então já viste quem morreu?
- Não. Quem foi?
- O Alder Dante.
- Sim, e...?
- Então morreu.
- Pois, tudo bem (preencher com uma banalidade qualquer sobre a inevitabilidade da morte). Bom, vamos então mas é ao almoço. É pena é não ter sido o Pinto da Costa!
- Ah, pois, mas esse vai morrer no seu posto.

Sento-me no carro, ligo o rádio e paro na Antena 1, que estava com o seu noticiário desportivo

- ... agora vamos em directo para a Academia de Alcochete, onde está a ser apresentado Paulo Bento, como novo Chefe do Departamento de Futebol dos Leões. (mas então o Paulo Bento vai deixar de ser treinador? Vai acumular funções? Que é que se passa aqui?)

- Boa tarde a todos os ouvintes da Antena 1. Estamos aqui em directo de da Academia do Sporting em Alcochete, onde começou neste preciso momento a conferência de imprensa, onde vai ser apresentado Pedro Barbosa (ah, bom), como novo Chefe do Departamento de Futebol Leonino (é pá, a quantidade de formas que há para designar os clubes no nosso país). Mas antes falou o Administrador XPTO, que apresentou as condolências do clube à família do antigo árbitro internacional Vítor Pereira, que faleceu ontem. Vamos então ouvir o antigo capitão do Sporting, Pedro Barbosa. (é pá, mas o Vítor Pereira? Tão novo... Coitado. E não tinha sido o Alder Dante? Ou será que morreram os dois?)

- Muito boa tarde a todos. Gostaria também de apresentar as minhas condolências à família do Vítor Correia... (Então mas afinal quantos árbitros morreram ontem?). Ah e tal e vou fazer o Sportem ganhar e mais isto e mais aquilo e patati e patata...

- Bom e daqui de Alcochete é tudo. A emissão regressa aos estúdios da Antena1.

- Muito obrigado Paulo XPTO. Bom e agora o Benfica. Luís Filipe Scolari, recebeu ontem uma comissão de apoio à sua recandidatura à presidência do Benfica (quem?).

quarta-feira, julho 12, 2006

sábado, julho 08, 2006

sexta-feira, julho 07, 2006

Toca a acordar!

Nada como abrir os olhos, às oito e picos da manhã, ao som do apito do nosso telemóvel. A muito custo, percorrer o menu até descobrir uma mensagem de SMS do nosso banco, informando que a Direcção Geral de Impostos acabou de fazer o reembolso devido do IRS de 2005.

Nunca pensei ouvir-me dizer isto logo pela manhãzinha mas...obrigado, sr. Ministro das Finanças!

quinta-feira, julho 06, 2006

O túmulo de Pandora lusitano

Era para ser hoje...a abertura do túmulo de Pandora nacional, o do responsável por isto tudo, D. Afonso Henriques. Com o objectivo de reconstituir o seu perfil biológico, uma equipa de antropólogos, médicos e geneticistas preparava-se para estudar os restos mortais do nosso primeiro rei, quando o Ministério da Cultura suspendeu a abertura do túmulo, por não ter sido feito o pedido oficial à Ministra, Isabel Pires de Lima.

Assim, e como no nosso país estes imbróglios costumam demorar anos a resolverem-se, o desBlogueador de conversa contratou, a custo zero, uma experiente equipa de assaltantes de túmulos para se dirigirem à Igreja do Mosteiro de Santa Cruz e eis o que descobriram dentro do sarcófago:

- um cachecol da selecção nacional de combate com espada e escudo, enrolado em volta do pescoço do rei, onde se pode ler "campeões da Península, 1143-1185";
- um pequeno emblema cozido na lapela do seu casaco, onde se pode ler “cada castelhano vale menos que a bosta do meu cavalo";
- a sua famosa espada, com o rótulo Fabricado en Castilla;
- uma cópia do livro "Inventem-se novas mães", do conhecido psiquiatra Daniel de Borgonha Branco Sampaio;
- um bilhete de coche só de ida para o Ayuntamiento Real de Torremolinos.


Eis el-rei d. Afonso Henriques, eis Portugal...
Portugal-França (tentando não passar do 80 para o 8)

Figo e Zidane quase de saída...Um dia depois, e com as ideias mais fixas e acima de tudo mais frias, cá vai disto:

- Perdemos mais uma vez com "os do costume". Na minha vida, já vi a nossa selecção em 4 meias-finais e em 3 delas fomos "despachados" sempre pelos mesmos. Curiosamente acho que ontem, foi o jogo em que tínhamos mais hipóteses de conseguir um resultado positivo, mas foi aquele em que demos menos luta. A partir do golo francês, muito poucos motivos de preocupação causámos aos franceses;

- Pareceu-me que as duas equipas fisicamente estavam de rastos. A meio da 2ª parte houve um contra-ataque francês, com um passe de primeira, felizmente mal medido, de Zidane para Thierry Henry, que mais parecia um lance de 2ª parte de prolongamento, tal a quantidade de jogadores que não recuperaram defensivamente;

- O jogo foi decidido com um penalty, que deixa a sua azia. E deixa a sua azia, porque foi contra nós. Porque se fosse ao contrário, se calhar toda a gente (eu inclusive) o achava inquestionável. Há ali muito teatro. Houve, de facto um toque no avançado francês, mas ele aproveitou-se claramente da situação (como fazem 95% dos jogadores que actuam na sua posição) e desmanchou-se em 1000 pedaços num ápice. No entanto, devemos aceitar a sua marcação. Não se deve apontar o dedo ao árbitro neste lance. Houve contacto. Foi suficiente para provocar aquela queda? Julgo que não. Deve-se acusar o jogador francês de simulação? Também julgo que não. Naquela situação não haveria um único jogador que não fizesse o mesmo (e se fosse um nosso, lá vinha a conversa da experiência). O futebol é mesmo assim e devemos aceitar a coisa como ela é;

- Mais uma vez, demos razão a todos aqueles que nos apontam como simuladores e outras coisas que tais. Não gostamos de ser acusados disso mesmo, mas para nos podermos insurgir decentemente contra essas acusações, não deveríamos dar a mínima chance nesse capítulo. Infelizmente, ontem não foi esse o caso. Houve pelo menos 6 lances (Cristiano Ronaldo na grande área, Miguel, Costinha, Hélder Postiga, Pauleta e Cristiano Ronaldo de novo) em que os jogadores pura e simplesmente tentam enganar o árbitro, em vez de se preocuparem em jogar futebol. Meus amigos, não sei se era do cansaço, mas não deveríamos enveredar por este caminho, sob pena de no futuro continuarmos a sofrer do "Síndroma João Pinto" - quando existe de facto motivos para a marcação de faltas, os árbitros optam pelo mais seguro, ou seja, "estes tipos estão sempre a fingir";

- O jogo foi fraco (não tanto como o Portugal-Inglaterra). Não demonstrámos capacidade para inverter o rumo dos acontecimentos. 60 minutos é tempo mais que suficiente para marcar, pelo menos, um golo. E nesse período de tempo, criámos 2 oportunidades de golo (Pauleta e Figo). Parece-me curto, muito curto. Basicamente não estivemos à altura do acontecimento (em termos de futebol praticado, note-se) e só por isso o resultado é justo. Ou seja, numa situação em que era necessário marcar, a nossa produção ofensiva foi muito muito reduzida (tal como já se tinha visto no jogo contra os ingleses, em que passámos mais de uma hora a jogar contra 10 e nos cabia a obrigação de tentar evitar a lotaria dos penalties). Neste aspecto, acho que Scolari (ou quem vier substitui-lo), deve pensar seriamente em renovar os nossos pontas de lança. Pauleta é extremamente eficaz contra o Kuwait, o Luxemburgo e a Estónia, mas contra equipas de top Mundial tem um golo marcado (contra a Holanda). Hélder Postiga é um jogador que não acrescenta absolutamente nada e gostava de saber porque carga de água o Nuno Gomes ontem nem aqueceu. Julgo que neste departamento, em que nunca fomos muito fortes, exige-se a chamada renovação, sob pena de continuarmos a claudicar nestas provas, por apresentarmos jogadores facilmente anuláveis nesta posição;

- Ridículos os comentários da SIC, ao vislumbrar uma grande penalidade sobre o "mergulhador" Cristiano Ronaldo, assim como muitas das primeiras apreciações de outros "mergulhos" dos nossos jogadores;

- Espero que a partir de hoje, desapareçam todos os comentários parvos que foram feitos ao árbitro, por treinador e jogadores no final da partida, que a meu ver, não teve influência nenhuma no resultado, inclusive com essa questiúncula dos cartões amarelos. Tudo bem que deveria haver critérios uniformes, mas parece-me que quem esteve claramente com o "passo trocado", foi o Russo e não este Uruguaio e muito menos o Argentino do jogo contra a Inglaterra. Não é por aqui que perdemos o jogo. Perdemos o jogo, porque não conseguimos criar jogo (e acima de tudo oportunidades de golo) de qualidade suficiente para inverter o rumo dos acontecimentos. Tão simples como isto. Espero que a frio todos tenham a clarividência de verem o erro que cometeram;

- Sem sentido também algumas acusações de perda de tempo por parte dos franceses. Só quem não vê regularmente futebol, pode atirar com isto para o ar. Faz parte da coisa, meus amigos. Anti-jogo? Se fosse ao contrário era o quê? Experiência? Controlo do jogo? Jogar com o relógio?Razões para a derrota, devemos encontrar, neste jogo, em nós próprios e não no adversário ou no árbitro.


De qualquer das formas, esta participação vai ser um resultado histórico. Parabéns a todos os envolvidos nesta participação. Ainda vamos sábado discutir o 3º lugar, que para mim será um jogo com pouco ou nenhum interesse e deveria desaparecer da competição. Tendo em conta aquilo que eu vi ontem, permito-me sugerir ao xôr Scolari o seguinte 11 inicial:

- Ricardo; P.Ferreira, Ricardo Costa, F.Meira e Nuno Valente; Petit e Maniche; Simão, Tiago e Cristiano Ronaldo; Nuno Gomes

PS: Único dado positivo deste resultado. Podemos ainda ganhar o último jogo, dado que "conseguimos evitar" os italianos.
Futebol pós-Mundial

Hoje, a não perder, na SIC...Comédia, com a presença do grande José Nunes. Extremamente positivo!

quarta-feira, julho 05, 2006

Voltamos um dia mais cedo

Não chegou...jogar pelo menos tão bem como a França;
Não chegou...sofrer um penalty cometido por um dos melhores defesas centrais da Europa;
Não chegou...ver o Ricardo ficar a meia dúzia de centímetros de o defender;
Não chegou...meia dúzia de mergulhos patéticos para a piscina;
Não chegou...um guarda-redes fraquíssimo e inseguro do outro lado a dar-nos a nossa melhor oportunidade de marcar;
Não chegou...ver o anti-jogo e percas de tempo quase constantes dos gauleses;
Não chegou...e não vale a pena chorar mais.

Não chegou, mas os abutres habituais não vão demorar a chegar, vai uma aposta?

Pela minha parte, obrigado a todos por uma classificação histórica. Por mim é recebê-los como campeões do Mundo!
Lição prática de Futebol by Trapattoni (parte IV)

Mais logo, a partir das oito da noite há que tentar fazer o seguinte:

1 - Calma, muita, mas mesmo muita calma;
2 - Enquanto o jogo estiver empatado, temos sempre as nossa chances e está ainda tudo em aberto;
3 - Se estivermos a ganhar por um golo de diferença, nada está resolvido e não se pode colocar 11 jogadores a defender e sim aumentar as cautelas defensivas;
4 - Se estivermos a perder por um golo de diferença, nada de substituições de "tudo-ou-nada" nem ataques em horda e desorganizados, mas sim o correr de mais alguns riscos;
5 - Não é preciso correrias tontas "à la CR" que não levam a lado nenhum. O que é necessário é posse de bola, controle de jogo e especialmente das emoções;
6 - Não é necessário nem fazer o "jogo da vida" e muito menos "o golo do ano". Basta jogar o suficiente para tentar levar de vencida os franceses e se marcarmos um golo, até pode ser de barriga, que vale tanto como um outro qualquer;
7 - Continuamos a não necessitar de marcar golos para sermos campeões do Mundo;
8 - Meio a zero chega, desde que não soframos mais de 1/3 de golo;

PS: Scolari, mete um tipo ao 2º poste nos cantos, pá!
O pedido é o mesmo de sempre

Porque os heróis de Munique também são do mar, porque o povo que os apoia é nobre, a sua nação valente, mas não só, pois também é imortal, só vos peço:

Façam o jogo das vossas vidas!

PS: Parece que todo o mundo, à excepção do nosso cantinho à beira-mar plantado, vai andar preocupado com isto. Mas a minha reacção é: "Coreia do Norte?! Mas esses tipos nem foram ao mundial, pá! Isso é, é inveja!".

terça-feira, julho 04, 2006

Já só sobram 3

Mas infelizmente, tenho a informar toda a Nação, que já não podemos ser Campeões do Mundo de Futebol.

sábado, julho 01, 2006

Notas soltas no Sábado mundialista

- As 3 grandes potências europeias (7 títulos mundiais e 6 títulos europeus entre as 3 equipas) e 1 "intruso" nas meias-finais da Taça do Mundo, garantem que o trofeu está de volta à Europa;
- A malta do futebol "bonito" já está toda em casa;
- Um jogador nunca deve ser insubstituível, mas nota-se (e bem) a falta de Deco;
- "A nação minúscula de comedores de sardinha" lá levou de vencida outra vez estes parvalhões cheios de bazófia (nunca mais aprendem que esta é a pior forma de lidar connosco);
- Grande domínio de Hélder Postiga a marcar o seu "penalty" (ver o que fez o Robinson);
- A falhar claramente só mesmo Petit, que Hugo Viana teve o chamado galo;
- Mais uma vez, puta que pariu a SIC, que assim que termina o jogo espeta bem à vontade com 15 minutos de publicidade execrável, quando a malta queria ver a festa no relvado;
- Agora sim, é que vamos enfrentar uma EQUIPA de futebol verdadeiramente forte e que impõe respeito;
- É pena andarmos sempre a jogar com os mesmos;
- Terceira meia-final em grandes competições de selecções com os "francius", que são de muito má memória;
- De qualquer das formas, na próxima 4ª feira, vou ver tranquilamente o jogo mais descansado dos ano, após o Barcelona-Benfica e o Liverpool-Benfica.

E para finalizar, continuo a achar que os italianos vão limpar esta coisada...
OUTRA VEZ ELE! 3 VEZES ELE!

Meias...estamos nas meias finais!!!

OBRIGADO...A TODOS, HAJA CORAÇÃO!!!
Lição prática de Futebol by Trapattoni (parte III)

Logo, a partir das 16 horas, o que é necessário é a chamada calma. Muita, muita calma. Enquanto estiver 0-0, nada está ganho ou perdido. Há que controlar acima de tudo as emoções e as adversidades (coisa que não sucedeu no jogo contra a Holanda em variadas situações).

Há que notar que não é necessário marcar mais nenhum golo para ganhar (assim como para perder).

PS: É impressão minha, ou há excessivo optimismo no ar?
PS2: Scolari pá, manda meter um gaijo ao 2º poste nos cantos!