sábado, setembro 20, 2003

Geração betos e geração rasca

Tenho estado com o computador avariado há uma data de dias. Hoje liguei isto, com aquela esperança estúpida que nos invade de vez em quando, e tenho estado a ler os outros blogs alegremente sem ele se desligar ao fim de um minuto como tem acontecido. Assim arrisquei vir ao blogger depois de ter lido um post da Maria que se lembrava das manifestações do «Não pagamos» que os estudantes dos anos 80 gritavam para não pagarem as propinas.

Ora, decidi comparar situações. Como sabem (se não sabem ficam a saber) os estudantes universitários da academia de Coimbra dirigiram-se ontem às instalações do Ministério da Educação em Lisboa para depositarem 350 rolos de papel higiénico como gesto simbólico contra o pagamento da propina. Como é que é? Então eles reclamam por não terem dinheiro para pagar as propinas e andam a esbanjar em rolos de papel higiénico?

Vamos comparar:

Década de 2000 - 20 estudantes (mais ou menos o número que se dirigiu ao ME) dizem não ter dinheiro para pagar as propinas, assim dirigem-se ao ME e depositam lá 350 rolos de papel higiénico em forma de protesto

Década de 80 - 3 estudantes vão a uma conferência de imprensa sobre propinas. Não levam cartazes, não gritam porque não querem armar confusão, apenas se levantam, arreiam as calças e nos rabos deles pode ler-se a expressão: NÃO PAGAMOS

E foi a isto que chamaram geração rasca!
Geração rasca :) Isso sim! qual papel higiénico à porta do ministério da educação! Era logo mostrar o rabo em conferência de imprensa! Comparem os custos! 350 rolos de papel higiénico vs um pedaço de tinta no rabo...e então? A que conclusão chegam? Eu chego à conclusão de que quem tem dinheiro para esbanjar em 350 rolos de papel higiénico pode muito bem pagar as propinas, agora os desgraçados que têm de mostrar o rabo porque nem sequer têm dinheiro para uns cartazes, esses sim! deveriam ter ficado isentos do pagamento.

Sem comentários: