sexta-feira, maio 29, 2015

É isto...

Da rubrica: "Depois admiram-se!"...


Ler notícia aqui

Vídeo - vejam uma mãe cega a conhecer o filho com uma ecografia 3D

Watch a Blind Mom-to-Be Meet Her Unborn Baby on a 3D-Printed Ultrasound | TIME:




sábado, maio 23, 2015

Irlanda diz Sim à legalização do Casamento Gay

Na Irlanda ganhou o sim no referendo sobre a legalização do casamento gay. Para os que estão muito assustados com a extinção da humanidade (?): A raça humana está muito longe da extinção... pelo contrário. Temo-nos multiplicado mais do que podemos. O casamento gay nada tem a ver com extinção. Os gays existem casem ou não. Dar a todos os homens e a todas as mulheres adultos os mesmo direitos. É isto que significa permitir que cada um case com quem quer. Nem sei por que raio tal assunto é referendado. Que se referende a adopção gay ainda entendo (mesmo sendo a favor da mesma), porque envolve uma outra vida. Referendar o direito de dois adultos, que nada têm a ver connosco, que nada nos afectam, de se casarem? É apenas intromissão na vida alheia. Ainda bem que ganhou o sim.
Há dias lia uma crónica de alguém que afirmava que a sua avó nunca tinha aplicado o Acordo Ortográfico de 1911. Recusava-se. Escrevia Pharmacia porque era a palavra com que identificava a farmácia. Penso o mesmo, não em relação à Pharmacia porque já não a tive, mas em relação ao Novembro, e à concepção. Poderei na minha vida profissional ser obrigada a escrever numa língua amputada. Mas na minha vida pessoal ninguém me obrigará a escrever num português que não é o meu. Não me importo que achem que nunca aprendi e que dou erros. Não vou ceder aos erros que os outros passam a dar.

domingo, maio 17, 2015

A tal da equidade...

Enfermeiros com notas de 10 em concurso passam à frente de colegas com 17 - PÚBLICO: "Um concurso para a contratação de 257 enfermeiros para a região de Lisboa e Vale do Tejo está a deixar muitos candidatos colocados nos lugares cimeiros à beira de um ataque de nervos. Enfermeiros classificados com notas de 15, 16 e 17 podem ser preteridos por outros que tiveram 10 (nota mínima), apenas por estes últimos serem funcionários públicos."



'via Blog this'

sexta-feira, maio 15, 2015

"olho por olho", até ficarmos todos cegos

Há dias entristecia-me com o facto de um miúdo, que foi cantar aos ídolos, estar a ser psicologicamente agredido pelo país inteiro. Grande parte da população, quais bullies, ria e gozava com a "falta de noção" e as orelhas do rapaz. O facto de o rapaz estar a entrar em depressão, serviu apenas para fazer mais algumas capas de revista (e aumentar as vendas) e subir o tom do gozo...
Dias depois a procuradora-geral da república vem defender os procuradores que comentaram o caso do Sócrates em tom de brincadeira, falando de liberdade de expressão. A esta defesa a ex-mulher do Sócrates vem afirmar, no facebook, que no mesmo facebook não se pode dizer mal dos outros, e as palavras que usou para fazer a defesa desta sua ideia foram estas:

Pelos vistos não se pode dizer mal dos outros, desde que os outros sejam "nossos".
O mais recente episódio de "faz o que digo, não faças o que faço" vem da Figueira da Foz, onde um grupo de bullies esteve a agredir um miúdo "da paz" durante, pelo menos, 13 minutos. A população, e bem, indignou-se contra a violência física e psicológica, mas as suas indignações passam por ameaçar os atacantes, em especial uma delas, com palavras como: "Haviam de morrer todos" ou "minha puta, se eu te apanhasse levavas tantas na boca que te partia os dentes todos".

O programa "Ídolos" passa em muitos países, não conheço nenhum outro que tenha uma rubrica para gozar com os concorrentes. Concorrentes esses que já estão numa situação de grandes nervos e ansiedade. Tenham ou não "noção", não nos cabe a nós deitar na lama a pessoa. As críticas deviam ser apenas e só construtivas. Não tem jeito para cantar, não tem imagem para aparecer. Tente outra coisa. Mas pelos comportamentos dos casos seguintes percebe-se o porquê de um programa que faz isso às pessoas ter audiências.
Todos nós fomos vítimas ou testemunhámos casos de agressões, físicas e psicológicas, nas escolas. Sempre existiram, sempre estiveram erradas. Há milhares de agressores por esse país fora. Mas em vez de criticarmos o acto dos agressores deste caso particular, em vez de pedirmos que a justiça funcione e eles sejam punidos, em vez de exigirmos que os pais os eduquem e os vigiem, passamos nós a ser os "agressores" e a querer "pagar da mesma moeda"; "olho por olho"... Criticamos muito os muçulmanos e a sua sharia, mas infelizmente parece-me que muita gente gostaria de a seguir neste país.

domingo, maio 10, 2015

Conceitos de democracia

Apesar do facto de as sondagens darem um empate entre "labour" e "tories" no Reino Unido, os Conservadores ganharam com maioria absoluta.
Ouvia a rádio britânica no dia das eleições e um entrevistador perguntou a um representante dos Conservadores se achava que as pessoas tinham vergonha de responder, nas sondagens, que iam votar nos Conservadores. Não me lembro bem da resposta, creio que foi algo como que os Conservadores eram, por norma, mais recatados e, por isso, não gostavam de dizer em quem iam votar.
Lá como cá as pessoas tendem a esconder quando votam na direita mas não é, de todo, por vergonha. Ninguém tem vergonha de ter as opiniões que tem pois acha que estão correctas. As pessoas têm vergonha daquilo que não controlam e não daquilo que controlam. Se há algo que controlamos é a nossa opinião. Se as pessoas de direita se escondem não é por vergonha é, muitas vezes, por medo. Eu assumo-me liberal e já tive gente a ameaçar-me que "para a próxima revolução vou ser a primeira a ser apanhada". É disto que as pessoas têm medo. Da violência dos extremistas e há, infelizmente, demasiados extremistas e, por isso, compreensivelmente, as pessoas preferem não se assumir de direita, seja ela conservadora ou liberal, porque passam a ser verbalmente agredidas e ameaçadas.
Prova disso são as recentes manifestações a ocorrer no Reino Unido (coisa que já tinha acontecido aquando da última vitória Torie). Quando a esquerda não ganha parte para a manifestação, a violência e a destruição de propriedade privada. É este o seu conceito de democracia e julgo que seja por isso que, nas sondagens, eles aparecem sempre à frente, e também que raros são os jornalistas de direita que arriscam escrever de acordo com as suas ideias e, quando o fazem, são também eles vítimas de agressão verbal e, por vezes, ameaças físicas.
Se não se ganha pelas ideias, vai-se ganhando pela força, pelo medo.

sábado, maio 09, 2015

Palavras de António Costa

Com a autoridade que lhe garante a candidatura a Primeiro Ministro deste país, António Costa afirmou hoje em entrevista ao DN:

«Espero que ninguém pense em comprar mais de 49% da TAP»

E:

«Que ninguém se atreva a pensar na compra da Carris ou do Metro contra a Câmara de Lisboa.»

E ainda:

«Se for possível, é desejável voltar às 35 horas de trabalho semanal já em 2016.»

Eu não tenho qualquer autoridade, mas gostaria de afirmar:

«Espero que ninguém pense em cobrar-me impostos para pagar mais de 49% da TAP»

E:

«Que a Câmara de Lisboa não se atreva a pensar cobrar ao resto do país impostos para manter a Carris e o Metro públicos para benefício exclusivo dos habitantes e trabalhadores de Lisboa.»

E ainda:

«Se for possível, é desejável não cobrarem mais impostos aos privados que trabalham 40 ou mais horas para voltarem a dar 35 horas de trabalho semanal já em 2016, para benefício exclusivo dos funcionários públicos.»


quinta-feira, maio 07, 2015

Alemã Siemens prepara-se para despedir 7.800 trabalhadores na Europa

A notícia aqui: Alemã Siemens prepara-se para despedir 7.800 trabalhadores - Economia - Notícias - RTP



Não se perdem postos de trabalho, até se ganham... no mundo (dado que antes foram disponibilizados 11.000 postos de trabalho). Noutros lados onde as exigências por parte dos trabalhadores são inferiores e fica muito mais barato. Haverá quem critique pela "exploração da mão de obra barata". Mas a verdade é que a mão de obra barata vai levando empregos para os países que vão saindo da miséria. "Nós", com tantos direitos e tão bons ordenados, vamos perdendo os empregos porque as empresas escolhem dar os postos de trabalho a quem leva menos... É uma pescada de rabo na boca. O facto é que o mundo está cheio de pessoas (por isso também não sou crítica do envelhecimento da população - temos é de arranjar outras formas de protecção na velhice que não passem por expropriar os ordenados dos poucos jovens que existem), o que não falta é mão de obra... falta é trabalho.


sábado, maio 02, 2015

Venezuela sempre a subir!


Depois de uma taxa de inflação de 68,5% o "democrata" Maduro anuncia, no dia 1 de Maio, à semelhança de anos anteriores, um aumento de 30% no ordenado dos funcionários públicos do país (no fundo "só" perderam 38.5% do ordenado que tinham anteriormente) e salário mínimo que agora passa a ser a exorbitante quantia de 87 euros mensais. Não admira pois que o Camarada Soares continue a elogiar o socialismo venezuelano, pois nos anos 80 fez o mesmo por cá enquanto as pessoas batiam palmas ao aumento sem perceber por que razão, com ordenados mais altos, não conseguiam comprar o mesmo que compravam antes...

Os produtos, por sua vez, tiveram aumentos que vão dos 60% aos 100%. Para terem alguns exemplos, um quilo de cenouras na Venezuela custa cerca de 17 euros, um cabo de vassoura custa 20 euros, um caixa de 36 lápis de cor é mais caro que um ordenado mínimo, fica por 120 euros, uma toalha de banho cerca de 140 euros, e uma barbie são 2 ordenados mínimos... viva o socialismo que com este aumento de 30% no ordenado dá uma estalada no "imperialismo americano" onde qualquer marmanjo tem dinheiro para uma barbie e um quilo de cenouras.


sexta-feira, maio 01, 2015

António Costa manda SMS por estar ofendidinho...

Um cronista escreve um artigo. O que, para um cronista, é uma crónica de opinião. Ora, a opinião é mesmo só isso: uma opinião. É isso que se faz também em blogues, como este.
As opiniões podem até ser encaradas como informativas, mas a sua principal função é fazer pensar. Quem as lê pode considerá-las ridículas, verdadeiras, fraquinhas e sem fundamento, ou fantásticas. Normalmente quando se acha que as crónicas não têm fundamento, pura e simplesmente, ignora-se a crónica e, com o tempo, deixa de ler-se o autor com quem não concordamos, que não nos faz pensar, que, basicamente, não tem importância para nós.
A não ser que sejamos o António Costa para quem uma crónica, uma opinião, pode ser motivo para se processar alguém e é motivo para se enviar um SMS ao cronista onde se pode ler, assim como que a modos de ameaça, as seguintes palavras (entre outras):

Quem se julga para se arrogar a legitimidade de julgar o carácter de quem nem conhece? Como não vale a pena processá-lo, envio-lhe este SMS para que não tenha a ilusão que lhe admito julgamentos de carácter, nem tenha dúvidas sobre o que penso a seu respeito. António Costa

A crónica em questão é esta que é apenas uma opinião sobre as propostas económicas do PS (nem sequer são sobre António Costa em particular). E podem ler o SMS por inteiro nesta notícia.

E, depois deste episódio, pergunto: é este "censor" que queremos ter como Primeiro-Ministro?
O facto de muito políticos de sucesso serem mentirosos não é exclusivamente um reflexo da classe política, é também um reflexo dos eleitores. Quando as pessoas querem o impossível, só os mentirosos as podem satisfazer
Thomas Sowell